Você sofre de...Você já teve...Você repórterVida cotidianaVocê acredita em...Você conhece os...Vídeos impressionantes de...Uma questão de...Você sabe o...Você sabe qual...Você sabe como...Você sabia que...Você é lógico?...Você tem medo...Você conhece o...Você é um...Vantagens e desvantagens...Venenosos
Aguarde alguns segundos...

Gírias de diferentes regiões do Brasil

E ae truta, beleza? Tá ligado? É nóis! Com certeza você conhece essas expressões. Elas fazem parte do nosso dia a dia, e são usadas com freqüência na oralidade. Diante disso, até buscando divulgar os costumes e tradições de diferentes regiões do país, preparamos uma seleção com algumas das gírias mais conhecidas. Uma boa leitura!

 

 

São Paulo

Abraça: Não, esqueça o significado convencional da palavra. Na cidade de São Paulo, por exemplo, o termo pode significar “desistir”, “abrir mão de algo”.

Ô, véi: Nada mais do que chamar a atenção de alguém.

Gente fina: Pessoa agradável, de fácil convivência.

Putz ou Putz grila: Interjeição que indica surpresa, espanto diante de alguma coisa.

Mano: O mesmo que irmão, amigo, camarada, colega.

Mina: Garota, menina, amiga.

Tá embaçado: Indica que a situação está complicada. Em outras palavras, “que o mar não está pra peixe”!

Sacaram: Compreenderam, entenderam?

A fila anda: Termo muito usado após o término de um relacionamento. Significa dar continuidade a sua vida.

E aee rapá: O mesmo que Oi, tudo bem?

Pagando pau: Interessado em alguém.

Busão: O mesmo que ônibus no coloquial.

Trampo: Local de trabalho.

Colar lá: O mesmo que aparecer em determinado local.

Dar área: Ir embora.

Mili duk: Indicação de tempo, o mesmo que “Nossa, quanto tempo não te vejo”!

Vaza daqui: O mesmo que saia daqui.

 

Rio Grande do Sul

Lambão: Pessoa suja, com pouca ou sem nenhuma higiene.

Guri e Guria: Menino e menina.

Espichar a canela: O mesmo que bater as botas, morrer.

Juntar os trapos: Casar

Maleva: Malfeitor, pessoa má.

Charlar: Prosear, conversar.

Pelego: Pele de ovelha.

Tererê: Chimarrão com água fria.

Xerenga: Faca antiga, que não funciona bem.

Naco: Fatia, pedaço, porção.

Entrevero: Confusão, desordem.

Campear: Procurar pelo campo.

 

Rio de Janeiro

Caô: Mentira

Vacilo e vacilagem: O mesmo que engano ou equivoco.

Tomei um beiço: Levar um golpe.

Brou, brother: O mesmo que amigo ou companheiro.

Noitada ou night: Sair para se divertir, curtir a noite.

Pistoleira: Pessoa de má índole, geralmente interessada apenas no dinheiro do parceiro.

Ih, ó o cara: Interjeição que indica “olha só, viu o que ele está fazendo”?

Dar um relax: Tentar descansar, relaxar.

Filé: Garota ou mulher bonita.

Ficou pequeno pra ele: Ser mal falado.

No maior gás: Agir de forma veloz.

Queimar rosca: O mesmo que praticar sexo anal.

Mó comédia: Pessoa vista por descrédito diante de suas ações.

Larica: Sentir fome.

 

Minas Gerais

Currutela: Pessoas de baixa renda.

Bololô: Confusão, agitação.

Barango: Pessoa fora de moda.

Franga: Pessoa que se recusa a dançar ou namorar.

Patola: O mesmo que preguiçoso.

Laquera: Agitação infantil.

 

Paraná

Bochuda: grávida

Baita: Muito grande

Ciar: Ter ciúmes de alguém.

Guela: o mesmo que garganta.

Volteado: Passeio rápido.

Basculhar: Procurar

 

Maranhão

Caçar barulho: Procurar confusão.

Ser o bicho cacau: Ser melhor que todos.

Bater o cachimbo: o mesmo que morrer.

Dar o doce: Casar, contrair matrimônio.

Só querer ser 31 de fevereiro: Aparentar o que não é.

Você recomendaria esta matéria? Não Sim ou Deixar comentário

Publicado em 16 de outubro de 2010 por Jeff Dantas em "Curiosidades". Encontrou um erro? Clique aqui. Editar



Iniciando...